sábado, 22 de janeiro de 2011

VAI AONDE TE LEVA O CORAÇÃO



Chegou-me às mãos, através da minha amiga  e colega Catarina, o livro “Vai aonde te leva o Coração”, de Susanna Tamara, escritora italiana, nascida a 12  de Dezembro de 1957.

É uma narrativa cheia de sensibilidade, de pormenores, de interrogações, que, de quando em quando, nos impelem a parar a leitura e quase nos obrigam a reflectir sobre as nossas próprias condutas, sobretudo, sobre o modo como alicerçamos as nossas relações.

São 15 cartas escritas (com sabor a diário íntimo) por uma avó de 80 anos que, vive apenas com Buck, o seu velho cão, e que se entretém a tricotar e a tratar do jardim.

São cartas dirigidas à sua única neta (mas que não envia) e que espera um dia virem a ser lidas por esta. Nelas narra pequenos acontecimentos do seu dia-a-dia, enquanto o coração se vai abrindo a recordações inquietantes do passado. São recordações de uma história de três gerações (dela, da filha e da neta) que embora ligadas por laços de sangue, não se conhecem. São 3 gerações conservadoras, de conflitos e, sobretudo, de ausência de comunicação, com todas as consequências daí advindas, sobretudo, ao nível da verdade e da demonstração dos afectos.
É desta forma, à distância, que conta a sua vida à neta e lhe diz o quanto gosta dela.

Deixo-vos os dois parágrafos finais do livro.

“Quando te sentires perdida, confusa, pensa nas árvores. Lembra-te da forma como crescem. Lembra-te de que uma árvore com muita ramagem e poucas raízes é derrubada à  primeira rajada de vento, e de que a linfa custa a correr numa árvore com muitas raízes e pouca ramagem. As raízes e os ramos devem crescer de igual modo, deves estar nas coisas e estar sobre as coisas, só assim poderás dar sombra e abrigo, só assim, na estação apropriada, poderás cobrir-te de flores e frutos.
E quando à tua frente se abrirem muitas estradas e não souberes a que hás-de escolher, não metas por uma ao acaso, senta-te e espera. Respira com a mesma profundidade confiante com que respiraste  no dia em que vieste ao mundo,  e sem deixares que nada te distrai, espera e volta a esperar. Fica quieta, em silêncio, e ouve o teu coração. Quando ele te falar, levanta-te, e vai para onde ele te levar.”

1 comentário:

edite disse...

Julgo que este romance da Susana Tamara, já foi passado para o cinema, pois já o conheço e achei lindo.
Faz-nos bem ao coração estas leituras para aprender a ouvi-lo antes de tomarmos decisões que por vezes se revelam precipitadas. Mas o coração também nos engana...